Make your own free website on Tripod.com
Serie Empresarial

Home

Serie Empresarial
LJP E-Zine


A e-Zine sobre Gestao Empresarial

CV

27 de Dezembro de 2000
Lauro Jorge do Prado

Estamos no final do ano 2000 e este é o último artigo do ano, e sendo assim resolvi compor uma retrospectiva do que aconteceu sobre gestão nos últimos 100 anos, fazendo um breve resumo em forma de time-line, iniciando em 1900 onde a moda foi a gestão científica e chegando no ano 2000 onde a gestão é eletrônica baseada essencialmente na tecnologia da informação.
A idéia que devemos conceber deste século é muito bem explicada por Richard W. Oliver em seu livro “Como Serão as Coisa no Futuro”, quando no prólogo de seu livro ele diz: “A Era Industrial nos tornou um mundo único, a Era da Informação fez de nós uma aldeia, e a nova era dos biomateriais nos tornará em uma só família.”. Em outro ponto do livro o autor diz ainda: “A Era Agrícola liqüidou a fome, a Era Industrial conquistou espaço e a Era da Informação dominou o tempo.”
Isto nos dá a visão exata do que foi e do que é o trabalho de gerir e administrar as empresas em cada era.


Vamos agora revisitar cada uma dessas épocas:

1900-1920 Gestão Científica

Frederich Winslow Taylor desenvolveu a metodologia científica do trabalho para aumentar a produtividade e reduzir o tempo de ociosidade dos trabalhadores.
Henry Fayol identificou as áreas funcionais de uma empresa e diferenciou a gestão. Para ele gerir era prever e planejar, organizar, comandar e controlar.
Na concepção da industria moderna surge o modelo de fábrica de automóvel que mudou o mundo, trata-se da obstinação de Henry Ford que ao especializar as tarefas e segmentar o trabalho, racionalizou a produção ao organizar a linha de montagem de seus veículos.

1920-1950 Organização

Neste período a produtividade cresceu, grandes empresas são adeptas de Ford, tais como: Renault, Citröen, Pegeault. Outras áreas de produção como aeronáutica, ferrovia, elétrica e setor alimentício também usaram a metodologia da cadeia de produção.
Quem fez a diferença neste período foi Alfred Sloan, que ao mudar a forma da administração da General Motors fez a maior transformação no processo de gestão ao transferir poder de decisão para os seus diretores de divisão.
Surge também a grande revolução do Marketing, onde a produção passa a se adaptar cada vez mais ao consumidor. Nasce a sociedade de consumo.
Coube a Elton Mayo fazer experiências no campo da motivação dos trabalhadores, dando assim início a gestão de relações humanas.

1950-1960 Peter Druck

Nesta década na maior parte dos países europeus o estado assume o controle onde as empresas passam a assimilar o modelo das empresas norte-americanas.
Mais foi Peter Druck com a sua publicação “The Pratice of Management” que mudou a forma de pensar dos empresários introduzindo por exemplo a administração por objetivos, que garantia o rendimento, transformava as necessidades objetivas em ambições pessoais.
Esta foi uma década marcada pela escola de relações humanas, que surgiu em contrapartida ao mecanicismo que imperava nas empresas.
Nomes desta década: Douglas McGregor(Teoria X,Y), Abraham Maslow(Pirâmide das Necessidades) e Frederich Herzberg(Fatores motivacionais).


1960-1970 Planejamento

Este foi um período em que todos queriam prever o futuro, controlar, tudo era planejado, usava-se ferramentas para planejamento estratégico, gestão estratégica e prospecção estratégica.
Empresas de consultorias como a BCG – Boston Consulting Group propuseram uma matriz de portifólios de atividades, a McKinsey e Arthur D.Little também apresentaram as suas versões de matrizes estratégicas.
Nomes da década: Teodore Levit e Philip Kotler elevaram o marketing a destaque defendendo a satisfação total dos clientes. Houve uma sistematização do marketing nas empresas através de conceitos, tais como: marketing mix, segmentação e ciclo de vida dos produtos.

1970-1980 Qualidade Total

O Japão inovou e aprendeu com dois norte-americanos, Edwards Deming e Joseph Juran, que lhes ensinaram o conceito de qualidade total.
O uso de ferramentas para auxiliar no processo de qualidade chega a exaustão, entre elas destaco: PDCA (plan, do, check, act) que tinha como princípio 1º - Planejar, 2o – Realizar, 3º Examinar, 4º - Continuar ou Corrigir. Outras ferramentas e conceitos surgem, por exemplo: Kaizen, Just-in-time, Kamban, etc

1980-1990 Excelência

As empresas neste período passaram a identificar e instaurar uma cultura da excelência nos negócios, buscando a partir de alguns conceitos como: incentivos a inovação, empenho dos gestores a produtividade, etc.
Para Tom Peters só as empresas excelentes são as que conseguem mudar e melhorar sempre.
A economia mundial começa a sofrer transformação com o advento da globalização, com o inicio de formação dos grandes blocos econômicos.

1990-2000 Era da Informação

O início dos anos 90 foi abalado pelo conceito de reengenharia que questionava o modelo de gestão e propunha uma demolição e reconstrução na estrutura das empresas sob o ponto de vista totalmente diferente.
Nesta década que ora se encerra se assiste ao fim da estrutura piramidal, a nova forma de gestão é relacionar-se com os clientes, parceiros, acionistas. O uso de tecnologia de informação muda tudo, a informática suplanta todos os setores em termos de inovação, o valor é a palavra do momento.
Os novos conceitos são usados para medir a eficiência das empresas, surgem métodos e conceitos tais como: EVA(Economic Value Added), MVA (market Value Added), ROCE(Return on Capital Employed), ABC(Activity Based Costing), Core Competence, Corporate Culture, Empowerment, Lean Production, Learning Organization, Risk Management, Balanced Scorecard, etc.
O mais interessante de tudo é que nesta década marca o surgimento dos conceitos voltados para o valor pessoal, para as competências, a experiência dos indivíduos, convertendo-se em capital intelectual. Surgem também métodos e conceitos para medir o conhecimento e a aprendizagem.
A Internet veio consolidar o comércio eletrônico, mudando o conceito, sobre localização, tempo e rapidez dos negócios.
As mudanças ocorridas nesta década são profundas e definitivas, onde há mudanças constantes de paradigmas e no ambiente de competição das empresas.
As empresas baseadas na Internet estão cada vez mais determinando o fluxos de mudanças e o consumidor final está cada vez mais exigente e consciente daquilo que deseja.

Com isso passamos pelos cem anos viajando, da gestão científica, a gestão de relações humanas, a gestão dos recursos humanos, a gestão de racionalização limitada e a gestão de processos, chegando até a gestão da informação e da sociedade cibernética.

Convido a todos a focar no futuro e começar a preparar para o que virá após a era da informação, seja ela a era dos biosmaterias ou a era que for.


Independentemente desejo a todos: Um feliz 2001 e um ótimo início de uma nova década, novo século e novo milênio.

Obrigado por ler esta materia!

lauroprado@pisa.com.br

image29.gif